Uma didática da invenção

“Desinventar objetos. O pente, por exemplo.
Dar ao pente funções de não pentear. Até que
ele fique à disposição de ser uma begônia.

Ou uma gravanha.
Usar algumas palavras que ainda não tenham
idioma. “

Manoel de Barros

(Trecho da poesia “Uma didática da invenção”)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Foto do post: Digital Buggu)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s